24/06/2015

Você sabe atrair e fidelizar seus clientes?


Conquistar um cliente não é tarefa simples nos dias de hoje. Com diversas opções no mercado, a tendência é que as pessoas cada vez mais façam pesquisas e se mostrem exigentes na hora de fechar um negócio, especialmente quando se trata de algo de grande valor como um imóvel. Por isso, o profissional que quer se diferenciar precisa estar atento e tomar as atitudes certas. Ele precisa mostrar quem tem um “algo mais” e somente assim poderá atrair e fidelizar novos compradores.

Quer aprender dicas certeiras de como fazer isso? Confira no artigo a seguir:





Invista no relacionamento com o cliente

O primeiro passo para conquistar e fidelizar seus clientes é estabelecer uma relação de confiança. E, para isso, é preciso humanizar o processo de venda.

A compra de um imóvel é algo muito importante, que tem poder de mudar a vida do comprador. Por isso, invista em um atendimento de qualidade, busque sanar as dúvidas e tenha o conhecimento necessário não só do imóvel, mas do mercado de uma forma geral.



Interprete as necessidades do seu público

A melhor maneira de manter um cliente com você é sabendo interpretar os desejos e anseios dele como ninguém. Cada um vai ter um objetivo na aquisição do imóvel, e o corretor inteligente precisa saber oferecer ao certo o que ele realmente quer.

Uns almejam segurança e conforto, enquanto outros querem praticidade e bom preço. Sendo assim, decifrar as motivações de compra é essencial para buscar no mercado aquilo que melhor combina com o perfil desse comprador. Dialogue, pergunte, estimule, se adapte. O vendedor que melhor fizer isso definitivamente será aquele que terá as maiores possibilidades de conquistar a fidelização.

Tenha uma boa conduta no dia a dia  

A conduta do corretor também é muito importante para atrair clientes. Quem não mostra uma postura profissional, ética e correta, definitivamente vai perder espaço no mercado. O vendedor precisa inspirar confiança, conhecimento, empatia e ser uma pessoa acima de qualquer suspeita. Dessa maneira, os clientes só vão falar bem e indicarão você aos conhecidos por se tratar de um corretor diferenciado: é o marketing boca a boca em ação.

Estude

Antes de ir ao imóvel com um possível comprador, faça uma visita no local para ir se familiarizando com o ambiente e analisar ao vivo as condições. Conheça a região também, para poder falar dos benefícios e conveniências do local. Além disso, é interessante montar um roteiro de apresentação que você siga durante a visita.



Lembre-se do pós-venda

Tendo seguido essas dicas, é muito provável que você consiga fechar a venda com o cliente. No entanto, isso não quer dizer que suas tarefas acabaram por aí! Um bom pós-venda também ajuda a garantir a preferência desse comprador para futuros negócios e a sua indicação para terceiros, com a certeza de que você poderá oferecer o melhor. Mantenha o contato, mostre-se solícito e esteja disponível: construindo uma relação duradoura, seus lucros poderão ser muito maiores.

Essas são as melhores dicas para atrair e fidelizar seus clientes. O corretor inteligente pode fazer a diferença e achar seu lugar no mercado, garantido muito mais sucesso na sua profissão.
Moisés Cainãn Gerente de Marketing | Diretor de Arte

Formado em Administração, Design Gráfico, Web Design e Pós-Graduado em Mídias Digitais é atualmente Gerente de Marketing e Diretor da Arte na Imobuy Imobilíaria.
marketing@imobuy.com.br

15/06/2015

Momento é oportuno para compra de imóveis de até R$ 400 mil




O pacote de incentivo aosetor imobiliário, anunciado pelo governo no fim de maio, reabriu uma oportunidade para quem deseja financiarimóveis de até 400 mil reais, mesmo em um momento no qual o crédito ficou mais caro e escasso.

Uma das medidas anunciadas pelo governo foi a liberação de mais de 4,2 bilhões de reais para a linha de financiamento imobiliário Pró-Cotista FGTS.

Além de cobrar taxas de juros mais acessíveis do que as praticadas no Sistema Financeiro de Habitação (SFH), a linha permite financiar até 90% do valor do imóvel noBanco do Brasil e até 80% na Caixa, seja ele novo ou usado, mas desde que o valor da unidade seja limitado a 400 mil reais.

A Pró-Cotista, que é restrita a trabalhadores que têm conta vinculada ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) há mais de três anos, ficou suspensa no Banco do Brasil entre junho do ano passado até fevereiro deste ano, segundo fontes do mercado. Pouco antes da suspensão, consumidores chegaram a dar entrada para obter o crédito, mas não conseguiram concluir o processo.

Procurado, o banco confirma, em nota, que “deixou de operar (a linha de financiamento) momentaneamente em alguns meses de 2014, quando foi atingido o limite disponibilizado para a linha pelo fundo gestor”. O BB afirma que, desde o início do ano, “a linha sempre esteve aberta”, e agora, com o anúncio de recursos adicionais, “espera continuar operando (a linha)”.

Já a Caixa diz, em nota, que o programa está ativo, com operações regulares, após a liberação dos recursos do fundo para 2015. O banco não diz se a linha chegou a ser suspensa no ano passado.

Para Marcelo Prata, diretor do Canal do Crédito, site que compara financiamentos imobiliários, a medida amplia o acesso à Pró-Cotista tanto na Caixa como no Banco do Brasil, os dois grandes bancos que oferecem a linha atualmente.
"A Caixa irá focar mais na linha para compensar a falta de recursos para financiar imóveis no SFH, enquanto o Banco do Brasil também deve passar a conceder mais empréstimos na linha com o objetivo de ganhar mercado em relação â Caixa", diz Prata.

No entanto, ao mesmo tempo em que o conselho curador do FGTS ampliou o orçamento da linha, como parte do pacote imobiliário, ele baixou a régua do valor do imóvel que pode ser financiado na linha para 400 mil reais.

Antes, a Pró-Cotista admitia imóveis de até 750 mil reais em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal, e de até 650 mil reais nos demais estados, os mesmos limites de enquadramento dos financiamentos pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

Segundo o conselho do FGTS, a maior liberação de recursos, combinada à restrição no valor dos imóveis aceitos pela Pró-Cotista, tem o objetivo de direcionar o crédito a uma das camadas da sociedade na qual o déficit habitacional é maior, a classe média.

Principais atrativos

A linha Pró-Cotista FGTS cobra taxas de juros menores por conta de um subsídio oferecido aos cotistas do FGTS, que geralmente são trabalhadores formais, com carteira assinada e que realizam obrigatoriamente contribuições mensais ao fundo, equivalentes a 8% do valor do salário.

São enquadrados ainda trabalhadores rurais, temporários e atletas profissionais, que também fazem contribuições ao fundo. Para empregados domésticos, a contribuição ao FGTS é opcional.

Na Caixa, a taxa de juros cobrada na linha para quem não tem relacionamento com o banco, a chamada taxa balcão, é de 8,85% ao ano e, no Banco do Brasil, de 9% ao ano. Em financiamentos no SFH, a taxa balcão cobrada pelos bancos sobe para 9,45% ao ano na Caixa e 9,90% ao ano no BB.

Caso o comprador tenha relacionamento com a Caixa, por exemplo, os juros cobrados na linha Pró-Cotista podem ser menores e chegar a 7,85% ao ano. Essas taxas já eram oferecidas pelos bancos no ano passado, antes dos aumentos da taxa Selic registrados neste ano.

Além de juros mais baixos, o grande atrativo da linha é o porcentual do valor do imóvel que pode ser financiado - tanto para imóveis novos, como usados - que chega a 90% no BB e 80% na Caixa.

Recentemente, a Caixa passou a emprestar no máximo 50% do valor da unidade para aquisição de imóveis usados que estejam enquadrados no SFH. Ou seja, além do programa Minha Casa Minha Vida (que financia imóveis de até 190 mil reais) a linha Pró-Cotista é a única alternativa para quem pretende comprar imóveis usados na Caixa, mas não tem capacidade de arcar com as entradas de 50% do valor do imóvel.

O prazo máximo de financiamento oferecido na linha em ambos os bancos públicos é de até 360 meses.

Requisitos

Para ter acesso à linha de crédito Pró-Cotista FGTS, é necessário ter contribuído ao FGTS por mais de três anos, consecutivos ou não, na mesma empresa ou em empresas diferentes.

Caso se enquadre nessa exigência, a conta vinculada ao fundo deve estar ativa, ou seja, o trabalhador deve estar empregado e realizar atualmente contribuições mensais ao FGTS; ou ter conta inativa, mas com saldo equivalente a 10% do valor do imóvel, caso esteja desempregado ou não contribua atualmente para o FGTS por estar trabalhando sob outro regime de trabalho, por exemplo.

Não há restrição com relação à renda familiar dos compradores, desde que o imóvel financiado não tenha valor maior do que 400 mil reais.

Mas o comprador não pode ter outro financiamento de imóvel e nem ser proprietário de outra unidade residencial urbana, concluída ou em construção, na mesma cidade, em municípios limítrofes ou na região metropolitana da cidade onde vive. Preenchidos os requisitos, o uso do saldo do FGTS no financiamento é opcional.

Oportunidade limitada

Mesmo com recursos adicionais, a possibilidade de financiar imóveis na linha Pró-Cotista FGTS deve ter prazo limitado, de acordo com Marcelo Prata, diretor do Canal do Crédito.

Ele afirma que o aumento do desemprego no país pode elevar o saque de recursos do FGTS. “O aumento dos saques pode fazer com que os recursos do FGTS destinados ao financiamento imobiliário voltem a secar”, diz Prata.

Para quem se enquadra nas condições da linha Pró-Cotista, Prata recomenda aproveitar a oportunidade. “É o dinheiro mais barato que esse comprador consegue acessar atualmente. No entanto, os recursos são limitados”.

Como as restrições de crédito em outras linhas reduzem a demanda por casas e apartamentos, o momento pode ser favorável para a compra, pois amplia a possibilidade de negociação de descontos nos preços das unidades, diz Prata.

Por outro lado, financiar o imóvel agora não é indicado caso o comprador esteja inseguro em relação à manutenção do seu emprego nos próximos meses.

Nesse caso, quem não tem reservas financeiras para suportar o pagamento das prestações da dívida diante de um eventual desemprego, pode ser melhor adiar a compra e juntar um valor maior para dar como entrada e reduzir o débito.

Moisés Cainãn Gerente de Marketing | Diretor de Arte

Formado em Administração, Design Gráfico, Web Design e Pós-Graduado em Mídias Digitais é atualmente Gerente de Marketing e Diretor da Arte na Imobuy Imobilíaria.
marketing@imobuy.com.br

03/06/2015

Procura pelo primeiro imóvel cresce em Goiânia - Jovens são os principais compradores




Goiânia - Oito em cada dez famílias pretendem comprar a primeira casa nos próximos dois anos. O levantamento é do Instituto Data Popular. Em Goiânia, só no ano passado, imóveis financiados corresponderam a 47% de todos os financiamentos da Caixa Econômica Federal feitos com o FGTS. Em valores, as aquisições correspondem a quase R$ 79 milhões.

"Essa procura vai crescer ainda mais", prevê o diretor de mercado inombiliário da CMO Construtora, Marcelo Moreira. Ele ressalta que os jovens são os principais compradores de imóvel atualmente. A faixa etária inclui solteiros e pessoas que constituiram família nos últimos quatro anos, com idade entre 25 e 45 anos.

Os número da Caixa Econômica Federal  reiteram a observação de Marcelo. Em 2014, 64,76% das simulações de financiamentos feitas pelo portal do banco em Goiânia virem de pessoas com até 35 anos de idade. A renda média dos interessados variou de R$ 3,8 mil até R$ 4,9 e procuravam imóveis na faixa média entre R$ 155 a R$ 186 mil.

Em Goiânia, no Eldorado Parque, 80% de todos os consumidores dos apartamentos estão adquirindo seu primeiro imóvel. O complexo residencial conta com 25 quadras e oferece apartamentos de dois e três quartos no bairro Parque Oeste Industrial.

Atualmente, a região abriga cerca de 12 mil habitantes e o número tende a crescer.. "O interesse pela região cresce cada vez mais. Um dos fatos que chamaram nossa atenção foi a crescente procura também, de pessoas que moram na região central e sul de Goiânia, todas querendo migrar para o Eldorado Parque, explica o diretor da Brasil Brokers, Valoni Procópio.

Fonte: A Redação
Moisés Cainãn Gerente de Marketing | Diretor de Arte

Formado em Administração, Design Gráfico, Web Design e Pós-Graduado em Mídias Digitais é atualmente Gerente de Marketing e Diretor da Arte na Imobuy Imobilíaria.
marketing@imobuy.com.br